Terça, 15 de agosto – O dever da igreja

Expondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus. 1 Timóteo 4:6

O Espírito Santo é o sopro da vida espiritual na alma. A comunicação do Espírito é a transmissão da vida de Cristo. Reveste o que o recebe com os atributos de Cristo. Apenas os que são assim ensinados por Deus, os que possuem a operação interior do Espírito, em cuja vida se manifesta a vida de Cristo, devem-se colocar como homens representativos para servir em favor da igreja.

“Aqueles a quem perdoardes os pecados”, disse-lhes Cristo, “são-lhes perdoados; se lhos retiverdes, são retidos” (Jo 20:23, ARC). Cristo não dá aqui permissão para qualquer pessoa julgar a outros. No Sermão do Monte, Ele proíbe essa atitude. É uma prerrogativa de Deus. Sobre a igreja em sua qualidade de corpo organizado, porém, Ele coloca uma responsabilidade para com os membros individuais. A igreja tem o dever, para com os que caem em pecado, de advertir, instruir e, se possível, restaurar. “Quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta”, diz o Senhor, “com toda a longanimidade e doutrina” (2Tm 4:2). Lide fielmente com os que fazem mal. Advirta qualquer pessoa que se ache em perigo. Não deixe que ninguém engane a si mesmo. Chame o pecado pelo seu verdadeiro nome. Declare o que Deus disse com relação à mentira, à transgressão do sábado, ao roubo, à idolatria e a todos os outros males. “Não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam” (Gl 5:21). Se eles persistirem no pecado, o juízo que tiver declarado segundo a Palavra de Deus é sobre eles proferido no Céu. Preferindo pecar, renunciam a Cristo; a igreja deve mostrar que não sanciona seus atos, do contrário, ela própria desonra ao Senhor. Deve dizer a respeito do pecado o mesmo que declara o Senhor. Trate o pecado segundo as instruções divinas, e sua ação será ratificada no Céu. Aquele que desdenha a autoridade da igreja, na verdade, despreza a autoridade do próprio Cristo.

Há, porém, na questão, um aspecto mais feliz. “Aqueles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados” (Jo 20:23, ARC). Seja, acima de tudo, conservado esse pensamento. No trabalho em prol dos que se acham em erro, dirija todo olhar para Cristo. […]

Seja o arrependimento do pecador aceito pela igreja com coração agradecido. Conduza-se o arrependido da treva da incredulidade para a luz da fé e da justiça. Coloque-se sua trêmula mão na amorável mão de Jesus. Essa remissão é ratificada no Céu (O Desejado de Todas as Nações, p. 805, 806).

IJB - Atrair, Acolher, Envolver e Comprometer
Categories: Meditações DiáriasTags: , , , ,

Deixe uma resposta