Segunda, 30 de outubro – Jesus, o justo Juiz

Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, Se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel Sumo Sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo. Hebreus 2:17

Jesus revestiu Sua divindade com a humanidade a fim de poder alcançar a raça humana. O apóstolo diz: “Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também Ele, igualmente, participou […]. Pois Ele, evidentemente, não socorre anjos, mas socorre a descendência de Abraão. Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, Se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel Sumo Sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo. Pois, naquilo que Ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados” (Hb 2:14-18). Jesus é o único que já andou na carne, mas, mesmo assim, é capaz de julgar com justiça. Olhando para nossas ações exteriores, as pessoas podem condenar e arrancar aquilo que pensam ser o joio; porém, dessa forma, é possível cometer graves erros. Tanto pastores quanto leigos devem estudar a Bíblia e entender como agir em relação aos que erram. Não devem se portar com precipitação nem ser influenciados por preconceito ou parcialidade, estando prontos, com o coração insensível, a arrancar um ou derrubar outro; pois essa é uma obra extremamente solene. Ao criticar e condenar irmãos e irmãs, os acusadores ferem e maculam almas por quem Cristo morreu. Jesus as comprou com o próprio sangue precioso. Embora outros, julgando com base nas aparências externas, pronunciem sentenças contra eles, o julgamento que recebem nas cortes do Céu é mais favorável do que o recebido por seus acusadores. Antes de qualquer um de vocês falar contra outros cristãos ou tomar a ação decisiva de excluí-los da comunhão da igreja, siga a instrução do apóstolo: “Examinai-vos a vós mesmos se realmente estais na fé; provai-vos a vós mesmos. Ou não reconheceis que Jesus Cristo está em vós? Se não é que já estais reprovados” (2Co 13:5).

Examinem bem o caráter dos próprios pensamentos aqueles que estão prontos para descartar seus irmãos e irmãs, analisando quais são seus motivos, impulsos, propósitos e atos. […] Se após cuidadoso exame de nós mesmos, em atitude de oração, descobrimos que não somos capazes de passar no teste da investigação humana, então como suportaremos o teste aos olhos de Deus, caso nos levantemos como juízes dos outros?

Antes de julgarmos os outros, nossa primeira obra é vigiar e orar, travando guerra contra os males do nosso coração pela graça de Cristo (Review and Herald, 3 de janeiro de 1893).

IJB - Atrair, Acolher, Envolver e Comprometer
Categories: Meditações DiáriasTags: , , , ,

Deixe uma resposta