Domingo, 29 de janeiro – Enganos dos últimos dias

Tens pouca força, entretanto, guardaste a Minha palavra e não negaste o Meu nome. Apocalipse 3:8

Avivamentos populares são muitas vezes conseguidos por meio de apelos imaginação, excitando-se as emoções, satisfazendo-se o amor ao que é novo e surpreendente. Conversos ganhos dessa maneira têm pouco desejo de ouvir a verdade bíblica, pouco interesse no testemunho dos profetas e apóstolos. O culto só é atrativo caso lhes ofereça algo de caráter sensacional. Não é aten­dida a mensagem que apele para a razão desapaixonada. As claras advertências da Palavra de Deus, que diretamente se referem aos seus interesses eternos, não são levadas a sério.

Para toda pessoa verdadeiramente convertida, a relação com Deus e com as coisas eternas será o grande objetivo da vida. Porém, onde está o espírito de consagração a Deus nas igrejas populares de hoje? […]

Em muitos dos avivamentos ocorridos durante o último meio século, as mes­mas influências que se manifestarão em movimentos mais extensos no futuro têm operado em maior ou menor grau. Há um excitamento emotivo, mistura do ver­dadeiro com o falso, muito apropriado para desencaminhar. Contudo, ninguém precisa ser enganado. À luz da Palavra de Deus não é difícil determinar a natu­reza desses movimentos. Onde quer que as pessoas negligenciem o testemunho da Escritura Sagrada, desviando-se das verdades claras que servem para provar o ser humano e que exigem a renúncia a si mesmo e ao mundo, podemos estar certos de que ali não é outorgada a bênção de Deus. E, pela regra que o próprio Cristo deu – “pelos seus frutos os conhecereis” (Mt 7:16) – é evidente que esses movimentos não são obra do Espírito de Deus.

Nas verdades de Sua Palavra, Deus concedeu aos seres humanos a revelação de Si mesmo; e a todos os que as aceitam servem de escudo contra os enganos de Satanás. Foi a negligência dessas verdades que abriu a porta aos males que tanto estão se generalizando agora no mundo religioso. Tem-se perdido de vista, em grande parte, a natureza e a importância da lei de Deus. Uma concepção errô­nea do caráter, perpetuidade e vigência da lei divina tem ocasionado erros quanto à conversão e santificação, resultando em baixar, na igreja, a norma da piedade. Aqui deve ser encontrado o segredo da falta do Espírito e poder de Deus nos avi­vamentos de nosso tempo (O Grande Conflito, p. 463-465).

Ano Bíblico

Êxodo 34

Êxodo 35

Êxodo 36

 

 

IJB - Atrair, Acolher, Envolver e Comprometer
Categories: Meditações DiáriasTags: , , , ,

Deixe uma resposta